30 de jan de 2011

Venceu quem teve mais vontade

O Porto Alegrense venceu e com merecimento o clássico de Rivera por 2 a 1. A derrota do time B do INTER se deve em grande parte a falta de ousadia do treinador Enderson Moreira que escalou o time com 3 centromédios e chamou o time adversário para seu campo. O treinador COLORADO foi covarde na formatação do time e assim continuou nas substituições.

A outra derrota do COLORADO no Gauchão também foi com o mesmo esquema de jogo. Com 3 centromédios, 1 atacante isolado e 2 meias que ficam perdidos em campo. Esquema chama derrota que é o: 1-4-3-2-1.

O Porto Alegrense foi melhor em quase toda a partida. O INTER teve poucos momentos de superioridade. O Goleiro Muriel fez grandes defesas e até evitou uma derrota por mais gols. A vida de goleiro é dura e nesta posição o erro não é permitido sem dizer que é fatal e foi o que aconteceu pois teve culpa no gol de empate em que armou a erradamente a barreira e ainda deixou a bola entrar ao seu lado.

Este “time de tubo de ensaio” do COLORADO até o momento serve apenas confirmar que “de onde menos se espera é que nada acontece”. Vou poupar de críticas mais fortes os atletas, pois a culpa deles estarem jogando no INTERNACIONAL é da direção do clube.

O presidente do INTERNACIONAL apareceu na tela da televisão durante duas vezes no decorrer do jogo. E que infelicidade do Luigi estava com uma camisa que na telinha pareceu ser azul ou da mesma família. Veja outra imagem do Luigi e aí que cor é esta?

O Porto Alegrense jogou melhor e mereceu ganhar por um detalhe muito simples, apostou em um esquema de jogo tradicional e mesclou seu time com alguns jogadores de potencial (Mario Fernandes, Bruno Colasso, Adilson, Mailson e William Magrão).

Considerando os critério técnicos do campeonato gaúcho que o jogo da final (turno, returno e decisão) é sempre no campo do time que possuí mais melhor campanha, neste momento o Porto Alegrense possuí 11 pontos contra 9 do INTERNACIONAL.

E para piorar o meu ânimo provavelmente no próximo jogo voltaremos a conviver com Celso Juarez Roth e com seu esquema de apenas 1 atacante e isolado. Que venha 2011 e que o Deus e todos os Santos possíveis iluminem o caminho do Roth.

Um grande e forte abraço aos leitores.

1 comentários:

Leo disse...

Eu sou o maior contra sofrer por antecedência, mas se o negócio é conviver com o Celso Roth em 2011, que venha 2012! Sem o Roth, claro! Sejamos práticos!

Tenho um amigo que torce pra um time aí que tem uma cor azul e outras duas que falou uma coisa interessante: "Pra ganhar tudo, é só o inter demitir o Roth e recontratá-lo antes de cada partida".

Pior que não duvido!

Postar um comentário