27 de mai de 2012

Empate no RJ. 1 ponto ganho.

Empate com sabor de vitória. Aos 16 minutos do 1˚ tempo perdíamos por 2 a 0 em erros do sistema defensivo. No início de 2˚ tempo tomamos o 3 a 1, novamente com erro do sistema defensivo. E quando  derrota já era uma certeza, o INTER conseguiu buscar o empate com gols através de dois petardos de fora da área. 

Eu particularmente já achava o empate um bom resultado antes do início da partida. Com o decorrer da partida o empate foi 1 ponto conquistado e não 2 perdidos.

Com o elenco disponível para o jogo de hoje, eu não acreditava em resultado positivo independente da formação inicial e das possíveis substituições.

Na timeline do meu twitter DJR fez tudo errado e o INTER não ganhou o jogo por sua única e exclusivamente culpa. Não faço parte deste coro. Os gols sofridos foram erros dos jogadores e não considero justo responsabilizar o treinador.

Volto a repetir que para ser campeão é necessário lógica, coerência e principalmente sabedoria. No quesito sabedoria o treinador Dorival Júnior vem deixando a desejar com alguma freqüência.

Não crítico DJR pelo resultado de hoje, pelo contrário acho que teve méritos. Tenho discordância em relação a não utilização de Bolatti e a utilização do Anão Marcos Aurélio.

Entendo que faltou sabedoria e muito ao Dorival Júnior quando ao final do jogo publicamente recriminou o lateral Fabricio, inclusive exigindo por parte da direção uma punição ao atleta. Toda indignação do treinador se deve a uma discussão entre os dois no decorrer do calor do jogo.

Menos DJR, bem nem menos, você está errado no episódio Fabricio.

Dátalo comandou o INTER na ausência dos protagonistas do time. Jogou muito hoje. O empate passou pela excelente partida do Argentino.

Não tenho como não fazer um voto de louvor ao meu amigo Igor Silva que agora residindo na cidade maravilhosa foi apoiar o time COLORADO no Engenhão, mesmo na ausência dos principais jogadores e que a derrota era quase uma certeza. Este é um dos grandes COLORADOS que conheço.

Foto surrupiada do Facebook do meu amigo Igor

Um grande e forte abraço.

20 de mai de 2012

2 x 0, o mais clássico dos placares.

Vitória com o mais clássico dos placares, 2 x 0. O resultado final não demonstrou a superioridade do COLORADO no jogo. Em campeonato de pontos corridos o INTER fez sua parte, ganhou do time considerado inferior, conquistou os 3 pontos e iniciou o campeonato de pé direito.

O esquema tático encaixou no jogo e desta forma as individualidades que deixam a desejar são neutralizadas pelo conjunto da equipe.

Damião deixou sua marca em gol típico de camisa 9. O gol de Daboberto foi uma obra de arte, uma excelente jogada triangular entre o Dagoberto, Dátalo e Damião, um gol 3D.


Mesmo com alguns equívocos cometidos pelo DJR (Elton e Marcos Aurélio), o treinador merece o reconhecimento positivo e os devidos méritos pela vitória.

Neste semana as boas notícias fora do campo foram as transferências de Tinga e Jô.

Tinga merece todo o reconhecimento pelo seu histórico vitorioso no clube. Sua participação foi decisiva na Libertadores de 2006 e importante em 2010. E sua última grande partida com a camisa COLORADA foi a vitória no último clássico contra o principal rival e que definiu o título do campeonato gaúcho de 2012.

Que as próximas notícias de transferências ou dispensas sejam de Bolivar e Marcos Aurélio.

O público hoje esteve condizente com a importância do jogo. 22 mil.

Um grande e forte abraço.

Campeão precisa ter lógica, coerência e sabedoria.

Que o INTER transforme o campeonato brasileiro de 2012 numa obsessão. Que use a lógica, a coerência e principalmente a sabedoria para alcançar este objetivo.

Com 70% de aproveitamento é possível afirmar que o time será campeão com algumas rodadas de antecedência. Com 65% de aproveitamento provavelmente também será campeão na última ou penúltima rodada do campeonato.

São 38 rodadas, 114 pontos, 19 partidas no GIGANTE e 19 partidas nos estádios dos adversários.

65% de aproveitamento são 74 pontos ou 25 vitórias em 38 partidas disputas. Há outras possibilidades de chegar a este percentual com menos vitórias, mais empates e menos derrotas.

E contra adversários considerados inferiores e principalmente no GIGANTE a vitória será sempre uma obrigação.

Na era dos pontos corridos o desempenho dos campeões foram:
- 2003 o Cruzeiro com 72,46%
- 2004 o Santos com 64,49% (último colocado foi o Porto Alegrense)
- 2005 o Corinthians/CBF com 64,29%
- 2006 o São Paulo com 68,42%
- 2007 o São Paulo com 67,54%
- 2008 o São Paulo com 65,69%
- 2009 o Flamengo com 58,77%
- 2010 o Fluminense com 62,28%
- 2011 o Corinthians com 62,28%

Considerando os times que são apenas coadjuvantes no campeonato que são: Atlético-MG; Atlético-GO; Bahia; Botafogo; Coritiba; Figueirense; Náutico; Ponte Preta; Portuguesa e Sport. 

São 10 equipes coadjuvantes, serão 20 jogos. Nestes confrontos é que me refiro que a lógica, coerência e sabedoria são fundamentais, e quem conquistar a maior quantidade de vitórias contra estes adversários será o campeão de 2012.

No jogo de estréia contra o Coritiba no GIGANTE a vitória é fundamental para que o objetivo da obsessão se torne numa possibilidade e não em sonho.


A coerência e sabedoria começa pelo treinador, principalmente no momento da formação do time considerando sempre os atletas disponíveis para o jogo. Escolher Elton em detrimento de Bolatti é uma decisão de "falta de sabedoria". 

Um grande e forte abraço.

13 de mai de 2012

Faixa no Peito e Taça no Armário

Óbvio que comemorei e muito mais um título Gaúcho, o 41˚ da história do Sport Club Internacional. Faixa no peito e taça no armário.

D'Alessandro lembrando dos rivais na comemoração.

Com todo o respeito ao Caxias, o COLORADO tinha a obrigação de ser campeão. Eu mesmo já considerava o campeonato gaúcho ganho desde a conquista da Taça Farroupilha quando eliminamos o principal e único rival.

O técnico Dorival Júnior hoje teve um desempenho merecedor de muitas as críticas. Destaco os seus principais erros na minha análise:
a) Errou na formação inicial do time quando montou o meio campo com Guina e Tinga em detrimento de Daboberto que ficou como suplente;
b) Errou novamente quando permitiu que Nei fosse o cobrador da penalidade máxima com D'Alessandro em campo; e
c) Errou novamente quando teve um ataque de nervos em seu reservado técnico e que resultou na sua exclusão do jogo.

D'Alessandro novamente demonstrou toda sua condição de jogador imprescindível ao atual INTER, quando ingressou no jogo ditou o ritmo do time e comandou a virada do título.

Sandro Silva novamente perfeito. Muriel é a grande surpresa positiva neste ano.

Outra decepção é o treinador e o presidente do clube em qualquer oportunidade ficarem enaltecendo (babando o ovo) a importância de Bolivar e Tinga. Isso passou dos limites para a classe do ridículo. Ambos já concluíram seu ciclo no INTER.

A outra grande notícia do final de semana foi a nova suspensão do atacante Jô. A expectativa é que seu contrato seja rescindido independente da condição de justa causa ou não.

Que a conquista do Brasileiro de 2012 seja uma obsessão.

O eterno P.R.Falcão conquistou com o Bahia o título do Campeonato Baiano de 2012 depois de 11 anos na fila. Torcedor do Bahia deve agradecer ao Flamengo que levou Janjão e possibilitou a contratação de F5.

Um grande e forte abraço.

11 de mai de 2012

Desclassificado na bola parada

Desclassificado pelos próprios erros na bola parada.

O INTERNACIONAL no jogo dos 180 minutos desperdiçou muito mais oportunidades de gols que o Fluminense.

No segundo tempo na busca do gol salvador da classificação, o técnico Dorival Júnior tentou que o imponderável fizesse a diferença. Tentou o gol com o inexpressivo Jô e com o improdutivo (até o momento) Daboberto. 

Eu também acreditei até o apito final no gol "imponderável".

Oscar, Dátalo e Dagoberto perderam gols que em jogo decisivo o erro não tem perdão.

Entendo que Dorival Júnior não pode ser responsabilizado na derrota de hoje.

O INTERNACIONAL se despede da Libertadores de 2012 com uma campanha pífia.  Pelo desempenho no "conjunto da obra" de fato não merecia outro destino que não a desclassificação. Desconsiderando os jogos da Pré-Libertadores a companha do COLORADO foi de 37,5% e se analisado somente os jogos fora do GIGANTE foi de 8,33%. Desempenho digino de expressões como fracasso ou vergonha.

A desclassificação foi a conseqüência do seu desempenho na competição.

Em relação ao meu "palpitão" das oitavas considero que acertei 100% dos prognósticos já que o jogo do COLORADO na minha condição de Torcedor Vermelho não me permitiu escrever que apostava no adversário. 

O "palpitão" das oitavas pode ser conferido neste post:

Definido os confrontos das quartas-final meu novo "palpitão" é: Boca Júniors, U de Chile, Santos, Vasco.

Resta ao INTER confirmar o título do Campeonato Gaúcho no domingo.

No Campeonato Brasileiro será obrigação do INTER fazer campanha digna de campeão.

Um grande e forte abraço.

6 de mai de 2012

Mão na Taça e Cabeça no RJ

Mesmo iniciando o jogo com Bolivar e Jô e ao final do jogo com o acréscimo do Gilberto e jogando no Centenário e com o regulamento do gol qualificado o INTERNACIONAL empatou em 1 gol com o Caxias. No próximo domingo jogo no GIGANTE para confirmar o título do Campeonato Gaúcho 2012.

O confronto decisivo entre INTER x Caxias não é igual e são de turmas diferentes. O COLORADO antes do início do jogo do Centenário já era o favorito.

Para a maioria dos Torcedores Vermelhos o título Gaúcho foi conquistado na vitória contra o rival Porto Alegrense na conquista da Taça Farroupilha. A decisão contra o Caixas é apenas pró-forma.

Gostei do time do Dorival Júnior que teve atitude de time grande e mesmo jogando em Caxias foi superior. Muriel em grande fase. Bolivar na zaga compromete o sistema defensivo. Sandro Silva e Jajá foram bem. Jô foi o que sempre é.

No gol do Caxias tá valendo um prêmio para quem conseguir encontrar o Zagueiro Bolivar.

A atenção vermelha se encontra no Rio Janeiro. A larga vitória do Fluminense contra o Botafogo na decisão do Carioca entendo que foi excelente ao COLORADO. Prefiro sempre em jogos decisivos jogar contra adversários que na partida anterior "gastaram a bola".

O jogo contra o Fluminense está aberto. Jogamos por 2 resultados para classificação (empate com gols ou vitória por qualquer escorre). O empate sem gols a decisão é nos pênaltis.

Que o jogo dos bastidores e a panela política do eixo Rio-SP não consiga alguma medida judicial que afaste novamente Oscar dos gramados. A possibilidade de classificação do COLORADO aumenta com Oscar em campo.

Um grande e forte abraço.